Breaking

Ejaculação Precoce Como Controlar O que você precisa saber


A Ejaculação Precoce ou Prematura é um dos problemas sexuais mais freqüentes nos homens e nos casais, sendo responsável por 40% das queixas encontradas em consultório de terapeutas sexuais.

Do ponto de vista do funcionamento físico, a ejaculação se faz em dois estágios. No primeiro há a expulsão efetiva do líquido seminal (sêmen) dos órgãos acessórios de reprodução – próstata, vesícula seminal e canal ejaculatório – para a uretra. No segundo estágio, há a progressão desse líquido por toda a extensão da uretra até o meato uretral, que é o orifício na cabeça do pênis por onde sai também a urina. Acompanha-se desse processo fisiológico uma sensação subjetiva de profundo prazer conhecida como orgasmo.

Não existe um tempo definido para que a ejaculação seja con­siderada precoce. Pode-se dizer que ela ocorre quando há uma percepção, tanto do homem quanto de sua parceira, de que a eja­culação foi mais rápida que o esperado, de que não houve controle da ejaculação de forma que o ato sexual não foi satisfatório.

Pode ser comum na juventude, em encontros com parceiros novos ou após algum tempo de abstinência. Porém, quando se estende pela maturidade e se torna presente em mais da metade dos encontros sexu­ais, torna-se, aí sim, um problema crônico e um Transtorno Sexual.

Às vezes o pênis nem chega a enrijecer, somente o movimento de aproximação e o toque do lençol já determina a ejaculação. Noutras, o homem mantém a ereção por alguns minutos, começa a penetrar, mas logo ejacula, ficando insatisfeito e deixando a parceira “na mão”.

Sentimentos de culpa e ansiedade se tornam uma constante. Dificuldades maiores podem vir em seqüência, como a disfunção erétil (impotência) e a perda de intimidade no casal.

Causas



Raramente há um problema médico que explique a  EJACULAÇÃO PRECOCE tais como a prostatite aguda ou a esclerose múltipla. Na verdade, não existe uma única causa, mas vários fatores associados que levam à ejaculação precoce. Estes fatores podem ser:



1-)aumento anormal de sensibilidade da glande peniana;



2-)ansiedade frente ao desempenho sexual;



3-)inexperiência sexual;



4-)primeira experiência com parceira que tenha estimulado um coito rápido;



5-)culpa ou sentimentos negativos em relação à parceira.



Transtornos Associados



Como outras Disfunções Sexuais, a Ejaculação Precoce pode criar tensão em um relacionamento. Alguns homens solteiros hesi­tam em procurar novas parceiras por medo do embaraço causado pelo transtorno, o que pode contribuir para o isolamento social. 



A maioria dos homens jovens aprende a protelar o orgasmo com a experiência sexual e aumento da idade, mas alguns continuam ejaculando precocemente e podem buscar auxílio para o transtorno.



Alguns homens são capazes de retardar a ejaculação em um relacionamento a longo prazo, mas experimentam uma recorrência da Ejaculação Precoce quando com um novo parceiro.



Tipicamente, a ejaculação precoce é encontrada em homens jovens e está presente desde suas primeiras tentativas de intercurso. Quando o início ocorre após um período de um funcionamento sexual adequado, o contexto comumente envolve uma redução da freqüência da atividade sexual, intensa ansiedade quanto ao desem­penho com uma nova parceira ou perda do controle ejaculatório relacionada à dificuldade em obter ou manter ereções.



Alguns homens que cessaram o uso regular de álcool podem desenvolver ejaculação precoce porque se basearam no hábito de consumir álcool para adiar o orgasmo, ao invés de aprenderem estratégias comportamentais.


Tratamento da ejaculação precoce


Um tratamento mais específico se faz necessário quando ejaculação precoce se torna persistente, ou seja, aparece em mais da metade dos encontros sexuais. Existe tratamento, tanto medicamentoso quanto psicoterápico.

A primeira linha de tratamento é a reorientação e a reeducação do homem ou do casal quanto à função sexual normal.

A segunda linha terapêutica é o chamado tratamento cognitivo comportamental. Constitui-se em uma série de exercícios e tarefas para serem realizadas em casa para controle do tempo de ejaculação.

Técnica de distraçãoDurante o ato sexual, o homem é orientado a fixar o pensamento em alguma situação que o desli­gue de sexo como, por exemplo, suas tarefas profissionais, contas bancárias, a morte de alguém, ou em alguma mulher que não o agrada. Assim que perceba que a ereção está se desfazendo, volta a se fixar na parceira. Deve usar essa distração, algumas vezes, para poder prolongar o tempo de penetração antes da ejaculação.

Técnica de compressão: O homem deve comprimir a base da glande (cabeça do pênis) por 4 a 5 segundos, imediatamente após a primeira sensação de maior excitação. Com esse procedimento vai di­ficutar a entrada de sangue no pênis e retardar um pouco a ejaculação.

Técnica stop-start: Consiste em orientar o homem a ficar na posição superior à parceira para poder ter controle do movimento sexual. Deve iniciar a penetração e parar completamente os mo­vimentos, próximo ao momento de maior excitação. Pode usar a técnica de distração concomitantemente.

O objetivo destas tarefas é fazer o homem tomar consciência do momento que antecede o primeiro estágio de ejaculação, podendo voluntariamente controlar quando deseja ejacular.

A terceira linha de tratamento envolve as medicações que po­dem ser utilizadas juntamente com os exercícios. Existe uma ampla gama de medicações que tem como efeito colateral o retardo do tempo de ejaculação.

Tais drogas devem ser ministradas somente mediante prescrição médica criteriosa, pois possuem vários outros efeitos no organismo. Alguns deles, por exemplo, os antidepressivos tricíclicos são contra-indicados a pessoas com problemas de ritmo cardíaco.

Algumas medicações tópicas (pomadas) à base de ervas ou anestésicos não foram comprovadas cientificamente como eficazes para o tratamento da EJACULAÇÃO PRECOCE.

De qualquer forma, esta disfunção sexual tem bom prognóstico, ou seja, apresenta bons índices de cura para a grande maioria dos indivíduos que procura orientação especializada.

Geralmente, seis a dez sessões são suficientes para a melhora da vida sexual do homem e do casal.





Nenhum comentário:

Postar um comentário